Rádio Rhema Online

terça-feira, 4 de setembro de 2007

VOCÊ PRECISA SER OBREIRO...

É maravilhosa a forma como o Senhor trabalha na vida daqueles a quem Ele chama para a sua obra. O cuidado, o zelo, a dedicação na preparação do candidato é algo glorioso, embora muitos não consigam chegar ao final da jornada aptos para o exercício pleno da vocação para o qual foram chamados. Nesse sentido, a Bíblia nos assegura que muitos são os chamados e poucos os escolhidos. (Mt. 22:14)

É aí que está o “xis da questão”! Muitas vezes não entendemos os critérios de seleção de Deus e, por conta disso, questionamos ou não aceitamos os métodos de avaliação a que somos submetidos. Mas a Palavra nos diz: “Bem aventurado o homem que suporta a provação, porque depois de ter passado na prova, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam”. (Tg. 1:12).

Na vida prática quando um trabalhador passa por períodos difíceis de desemprego, ao sair à busca por sua recolocação no mercado de trabalho é, quase sempre, submetido a uma série de provas - processos seletivos que incluem desde testes simples a provas mais elaboradas, entrevistas, redações, dinâmicas de grupo, além de uma bateria enorme de exames, tudo para assegurar que aquele profissional é, dentre todos os demais candidatos, o mais qualificado para a vaga a ser ocupada.

Não raros, são os casos de decepções, constrangimentos, situações vexatórias e até humilhações (embora a legislação pátria, bem como os tribunais, entendam ser estas susceptíveis à penas de responsabilidade pelo Dano Moral), sofridas pelo candidato. Não é o nosso caso.

Certo é, que nem sempre o candidato logra êxito.

Ao que se refere ao Reino de Deus, por sua vez, o candidato inicia sua fase preparatória tendo assegurada algumas vantagens que no caso anterior seriam praticamente impossíveis garantir, tais como:

1) Vagas ilimitadas de trabalho: “A seara é realmente grande, mas os ceifeiros são pouco. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para sua seara.” (Mt. 9.37, 38);

2) Orientação pedagógica e acompanhamento contínuo do selecionador: “Todos os dias eu estava convosco no templo, ensinando.” (Lc. 22:53); “Eis que estou convosco todos os dias.” (Mt. 28:20); “Onde estiver dois ou três em meu nome, ali estarei”.(Mt. 18:20);

3) Aplicação de teste prático durante o período de aprendizagem (seleção): “Eu vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” (Lc. 10:19); “Assim como meu Pai me enviou, eu vos envio a vós. Dizendo isto, soprou sobre eles, e disse: recebei o Espírito Santo.” (Jo. 20:21, 22);

4) Seguro de vida: “Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu...” (Jo. 17:12); “Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo. 3:16b); "Quem quiser salvar a sua vida perdê-la-a; mas, quem perder a sua vida por minha causa salvá-la-a." (Mc. 8:35);

5) Alimentação gratuita: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede." (João 6:35); “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida". (Jo. 6:54-55);

6) Certificado de Aprovação: “Vinde a mim e eu vos farei pescadores de homens...” (Mt. 4:19); “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer.” (Jo. 15:15); “Procura apresentar-te a Deus APROVADO...” (2Tm. 2:15).

Vemos aqui o cuidado do Senhor com o candidato a quem Ele chama, prepara, aprova e envia. “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça”. (Jo. 15:16).

Muitas vezes não é fácil nos submetermos aos ensinamentos e ordenanças do selecionador, principalmente quando pensamos que sabemos muito e que nossas experiências são suficientes para a realização dos testes a que seremos submetidos, deixando muitas vezes de atentarmos para as instruções, critérios e objetivos do teste proposto.

Embora capaz, é de vital importância que o candidato se revista de humildade e reconheça sua condição de hipossuficiência diante d’Aquele que o submeteu à prova.

Certamente que nossa experiência será considerada durante o processo preparatório e de avaliação, mas não será de todo suficiente. É Ele quem verdadeiramente nos capacita, potencializando o talento natural ou aquele que nos foi confiado quando do nosso chamado.

Ao recrutar Pedro, André, Tiago e João, O Senhor Jesus atentou para a vocação que aquele grupo de amigos possuía. “Disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Eles, pois, deixando imediatamente as redes, o seguiram.” (Mt. 4:19, 20). Não obstante, momentos antes, ao perceber o semblante cabisbaixo daqueles jovens que retornavam de uma empreitada fracassada, após horas no mar, Jesus aproveitou a ocasião para submetê-los a uma prova de fogo (sic).

O mestre bem sabia que Pedro, assim como os demais, era homem experimentado no mar; sabia que se lhe fosse pedido que retornasse às águas para uma nova tentativa haveria resistência por parte do discípulo, dada sua natureza “dura” e um tanto quanto “hostil”. Sendo assim, Jesus pausando o discurso que fazia à multidão, rogou a Pedro que lhe desse uma “carona” em seu barco para afastar-se um pouco da praia. Certamente o Senhor já não estava mais interessado na multidão. Logo, despediu sua platéia e tendo já o candidato no lugar onde queria, lançou-lhe um novo desafio: “Faze-te mar alto...”. Pedro, valente e destemido, ainda sem entender que estava sendo testado, avançou algumas milhas da praia, onde agora sim, Jesus lhe revela o verdadeiro propósito da prova: “lançai as vossas redes para pescar”.

A essa altura Pedro já havia compreendido que o resultado da missão não estava condicionado aos seus próprios conhecimentos, mas sim à submissão e à obediência às ordens do Mestre, ao que Pedro respondeu: “Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.” (Lc. 5:5). Eis aí o segredo do candidato que espera obter a aprovação no processo seletivo.

Era apenas a primeira de muitas provas a que seria submetido o jovem discípulo. Seu estágio probatório foi marcado por muitos altos e baixos, mas ao final, quando da entrega do certificado, ele havia aprendido a lição e obteve do Mestre a aprovação. Foram cerca de 1145 dias de aprendizado contínuo, nos quais fora experimentado em tudo, mas agora estava pronto a tomar lugar em sua cátedra.

Dez dias após a ascensão, estando os discípulos orando no cenáculo, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados, e todos foram cheios do Espírito Santo... “Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a sua voz, e disse-lhes: ‘Varões judeus, e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório; escutai as minhas palavras’...”. (At. 2:14) “De sorte que foram batizados os que receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” (At. 2:41).

Portanto, meus amados, PROSSIGAMOS como candidatos humildes, obedientes, submissos, fiéis, tementes, corajosos, confiantes e sinceros a fim de que sejamos APROVADOS.

Que o Senhor a todos abençoe.

2 comentários:

Eliseu Antonio Gomes disse...

Olá!

Prezado irmão Robson

Sou o fundador da comunidade BLOGUEIROS EVANGÉLICOS . Venho agradecer por fazer parte dela.

Com 50 horas de existência, está com 15 membros e já existe nela atualização de tópicos. Iremos crescer com a presença do Senhor e para a glória dEle.

Contamos com suas participações.

Abraço.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Olá Robson!
A Paz do Senhor!
Parabéns pelo artigo!
Graças a Deus as vagas são ilimitadas, também quando acabarem, o departamento de recursos humanos transferirá todo o quadro de colaboradores para o céu. Oh glória!
Continue escrevendo.

Related Posts with Thumbnails