Rádio Rhema Online

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

PARA SER UM MISSIONÁRIO É PRECISO... (5)

1. CRER NA REDENÇÃO (publicado em 23/01/10)
2. SER OBEDIENTE À GRANDE COMISSÃO (publicado em 24/01/10)
3. RENUNCIAR A SI MESMO (publicado em 25/01/10)
4. SER PACIENTE (publicado em 28/01/10)
5. SER PERSEVERANTE (publicado em 23/02/10)
6. TER ESPERANÇA

5. SER PERSEVERANTE


Assim como renúncia e paciência, a perseverança – a saber, a falta de – tem se mostrado um forte oponente para muitos MISSIONÁRIOS. Não é pequeno o número daqueles que tendo empreendido lançar-se de “corpo e alma” no serviço do Senhor, desistiram no meio do caminho: desanimados, desiludidos, desmotivados, decepcionados, sem forças para prosseguir.

Este é um passo
crucial na vida de qualquer MISSIONÁRIO: colocar a fé em ação e reunir forças de onde não as há para perseverare na Obra e para não deixar cair de suas mãos o arado.

O escritor aos Hebreus
– segundo nosso entendimento – foi quem melhor compreendeu a necessidade da perseverança para a conservação da fé, na esperança da Glória que há em Cristo Jesus.

Em sua obra
dirigida à nação hebraica, o autor elenca uma série de passos a serem seguidos pelo MISSIONÁRIO, a fim de que possa, “depois de haver feito a vontade de DEUS, alcançar a promessa”.

Vejamos quais são esses passos a partir da leitura do versículo 19, capítulo 10, de Hebreus.

PASSO UM: OUSADIA.

“Tendo ousadia para entrar no Santo dos Santos”. (v. 19).


Ousadia é a qualidade ou atributo daquele que tem coragem ou audácia. No caso do MISSIONÁRIO, é a marca que distingue aquele que, diante dos obstáculos e até mesmo das decepções da vida, não desiste nunca.

Um bom exemplo de OUSADIA é a o de Josué e Calebe, que mesmo diante do esmorecimento dos dez companheiros MISSIONÁRIOS que juntamente com eles espiaram as terras de Canaã, e das murmurações dos filhos de Israel, permaneceram firmes, íntegros e confiantes no poder e nas promessas do Senhor.

PASSO DOIS: VERDADEIRO CORAÇÃO.

“Cheguemo-nos com verdadeiro coração...”. (v. 22a).


Outro desafio para aqueles que são chamados por DEUS para fazerem a Sua Obra é ter um coração verdadeiro. Saber que o que deve imperar é a vontade de DEUS e não a sua própria vontade, é fator determinante para o sucesso de qualquer empreitada.

É comum,
no entanto, que muitos MISSIONÁRIOS, após haverem sido chamados, tracem seus próprios planos e projetos, vislumbrando o futuro apenas sob a ótica humana, a pretexto de o haverem sentido em seus “enganosos corações”.

Bem asseverou
o Senhor através do profeta Jeremias: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”

Sabedor disso,
e após haver sido enganado pelo próprio coração, o salmista Davi encomenda a Deus sua vida e todas as suas decisões, concluindo o belo Salmo 139 com as seguintes palavras:
“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.” (Sl 139: 23 e 24).

Ter um coração
verdadeiro diante de DEUS é estar no centro de sua vontade, perseverando naquilo que ELE mesmo tem planejado para nós. Fazendo assim, o MISSIONÁRIO de CORAÇÃO VERDADEIRO ouvirá acerca de si aquilo que o ETERNO declarou a respeito de Davi:

“Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.”
(At 13:22).

PASSO TRÊS: FÉ.

“Em plena certeza de fé...”. (v. 22b).

O mesmo escritor aos Hebreus, ainda no que concerne à perseverança declarou: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” (Hb 11:6).

Portanto, viver “em plena certeza de fé” é o terceiro passo a ser dado pelo MISSIONÁRIO que não apenas deve crer na sua chamada, mas perseverar em tudo quanto o Senhor tem determinado fazer, na certeza de que ELE é fiel para cumprir suas promessas em nossas vidas:

“Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos.” (Dt 7:9).

Às vezes somos tentados a duvidar daquilo que o Senhor nos prometeu, ou mesmo de Seu poderio sobre as nossas vidas. Olhamos para nós mesmo e não vemos condições de irmos além. Julgamo-nos incapazes (e de fato somos), mas sua intervenção sobrenatural sobre nossa limitada capacidade é quem nos faz mais que vencedores.

Portanto, não deve o MISSIONÁRIO travar diante das muralhas, nem esmorecer diante dos obstáculos, pois é ELE, e não nós, quem faz e opera todas as coisas segundo o Seu beneplácito e infinito poder. É preciso crermos no DEUS do impossível – pois sem fé é impossível agradar a Deus – e perseverar naquilo para o qual ELE nos chamou.

PASSO QUATRO: CORAÇÃO PURIFICADO DA MÁ CONSCIÊNCIA.
“Tendo o coração purificado de má consciência...” (v. 22c).

A Bíblia está repleta de referências que tratam a respeito do coração, este órgão de importância vital. É até mesmo difícil nos referirmos a ele com a devida precisão, dada a complexidade de seu funcionamento e da íntima ligação existente entre ele e a mente humana.

Até onde se sabe todas as nossas ações, ou a materialização do pensamento, se dão no mundo exterior a parti de nossas funções cerebrais. Logo é a mente quem, em tese, controla tudo.

No entanto, muito do que a mente projeta está baseado naquilo que vemos, ouvimos, sentimos e que de alguma forma nos proporciona prazer e nos impulsiona a viver. Ora, é ele, o coração, o grande responsável por nos mantermos vivos a cada dia. É ele que bombeia vida para nosso cérebro, para nossos demais órgãos, para nossas artérias, veias e vasos sanguíneos.

Certamente por esta razão a Bíblia se refira ao coração como sendo o grande depósito da vida:
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, pois dele procedem as saídas da vida” (PV 4:23).

O sábio Salomão em sua sabedoria nos exorta acerca da “Lei do Senhor” a ouvirmos com os ouvidos, ler com os olhos, guardar no coração e por fim GUARDAR O PRÓPRIO CORAÇÃO.

O MISSIONÁRIO deve ter, portanto, uma consciência boa, limpa, não acusadora, e um coração purificado, não guardando rancores e mágoas, e nem se deixando exaltar ou ensoberbecer.

Há casos em que as provações e as dificuldades para perseverar na obra fazem com que o MISSIONÁRIO passe a projetar pensamentos contrários à vontade do Senhor, chegando a murmurar contra DEUS. Suas decisões já não são tomadas à luz da Sua Palavra, e seu coração já não o condiciona a entrar no santuário do Senhor com a mesma convicção e ousadia de outrora (Hb 10:19). Mas a Bíblia é enfática ao responder a pergunta do salmista:

“Quem subirá ao monte do SENHOR ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração...” (Sl 24: 3-4).

O salmista ainda diz: “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Sl 119:11) e, “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” (Sl 139:23-24).

PASSO CINCO: CORPO LAVADO COM ÁGUA LIMPA
“E o corpo lavado com água limpa.” (v. 22d).

O texto aos Hebreus faz uma clara alusão à lavagem do sacerdote antes de sua entrada no santuário ou da ministração diante do altar do holocausto (conf. Ex 30: 17-21). Também na passagem de João 13: 1-12, Jesus após lavar os pés dos discípulos e da intervenção de Pedro, diz abertamente aos discípulos que aqueles que com ele estavam reunidos já estavam limpos, mas nem todos.

Lamentavelmente, Judas que o haveria de trair não tinha o seu coração lavado, portanto, todo o corpo estava contaminado.

O cuidado com o corpo físico – embora alguns entendam apenas como uma referência a Igreja ou ao aspecto espiritual – é algo que o MISSIONÁRIO precisa atentar com maior cuidado, em todos os seus aspectos.

No cuidado com a nutrição (refreando a boca); na conservação da saúde; no zelo com a estética e asseio pessoal; na conservação do corpo para uma vida conjugal boa e saudável; na pureza sexual e abstenção de atos, gestos, ou palavras de sedução (obscenas) que possam provocar sua a desmoralização diante da igreja, além de possíveis problemas futuros no casamento. Tudo isso faz parte de uma vida cristã impecável, no qual o MISSINÁRIO deve perseverar não se deixando contaminar (sujar) com as ofertas de Satanás.

PASSO SEIS: COMPANHEIRISMO.
“Consideremo-nos uns aos outros...” (v. 24).

Muitos MISSIONÁRIOS hodiernos não compreendem o significado da palavra companheirismo: camaradagem, parceria, amizade. Na verdade consideram outros MISSIONÁRIOS como seus oponentes, adversários, rivais no Ministério da Palavra. E ao contrário do que o escritor aos Hebreus ensinou, desconsideram a pessoa de seus “pares”, virando-lhes o rosto e escondendo-lhes as mãos.

O apóstolo João ao escrever sua terceira epístola fez menção de certo obreiro por nome Diótrefes que “gostava de exercer a primazia”, não o recebendo.

Segundo o apóstolo, esse mal obreiro “não contente com isso, não acolhia os irmãos, e ainda impedia os que queriam recebê-los, expulsando-os da igreja” (adap. 3Jo v.10).

Não é incomum vermos jovens MISSIONÁRIOS desistirem de suas chamadas por não haverem encontrado em seus antecessores o apoio e o estímulo necessário para perseverarem na batalha.

Alguns entendem que estender a mão a um obreiro mais jovem ou recém chegado ao ministério é o mesmo que perder prestígio, ou espaço no terreno no qual estão semeando. Esquecem de que o dono da seara é o Senhor, e que é ELE com comissiona cada um ao tempo e da forma que lhe apraz. Também é ELE que dá o pago, como melhor lhe convém, tanto para os primeiros, quanto aos derradeiros (conf. Mt 19:30; 20:1-16).

Assim, é um importante passo para o MISSIONÁRIO que deseja ser bem sucedido em seu ministério, perseverar não apenas no cuidado condigo mesmo, mas na consideração para com os outros, “a fim de estimulá-los ao amor e às boas obras.”

PASSO SETE: NÃO DEIXAR A CONGREGAÇÃO.

“Não deixando de congregar-nos, como é o costume de alguns” (v. 25).

Diferentemente daqueles que não recebem, mas não menos equivocados, há aqueles MISSIONÁRIOS que por qualquer coisa trocam de ministério, abandonam a obra de DEUS e dão as costas para o “campo” que lhes foi confiado.

Alguns o fazem sem o menor pudor ou temor de DEUS, deixando a obra de DEUS a ver navios, e as ovelhas do Senhor desamparadas. Mas DEUS não desampara o justo. (Sl 37:25).

O sucesso do ministério do MISSIONÁRIO consiste justamente em não se mover de seu lugar enquanto a “nuvem do Senhor” e Sua “coluna de fogo” não se moverem também. Nunca guiado por vista, mas pelo Espírito de DEUS, perseverando na posição em que foi chamado.

PASSO OITO: NÃO RECUAR DIANTE DAS ADVERSIDADES.

“Mas o meu justo viverá da fé. E se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.” (v. 38).

Concluímos o tópico 5 com o oitavo e mais importante passo: não recuar diante das adversidades.

A palavra recuar aqui nos dá a idéia de retroceder: ceder para aquilo que ficou para trás. Voltar aos velhos, fracos e pobres rudimentos (Conf. Gl 4:9)

O MISSIONÁRIO que recua de sua MISSÃO abandonou a fé e já não é digno de ser contado com os participantes da grande festa que o Senhor preparou para os que O amam (conf. Mt 22:8).

É preciso que o MISSIONÁRIO compreenda que a perseverança, mesmo diante das lutas, é indispensável para o sucesso. Diante dos confrontos e dos impedimentos que a vida nos impõe, é absolutamente necessário que o ele permaneça inabalável em sua posição.

É preciso prosseguir para o alvo, como disse Paulo (Fp 3:14) e lutar contra todos os adversários da nossa fé (nossas fraquezas, nossas limitações, nossos sonhos e ambições pessoais), pois somente com firmeza e determinação é que ele receberá ao final da batalha a coroa da vitória

Sabendo que ao final todos ouviremos do Senhor a gloriosa saudação: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25: 34), concluo dizendo que vale a pena perseverar.

Prossigo para o Alvo... Fp 3:14

2 comentários:

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro past... ops!, presbítero Robson:

Pelo que tenho lido em seu blog e pelo estilo de postagem adotado pelo irmão, em breve teremos mais livro oriundo de blog: "Sermões Selecionados do Pas... ops!, Presbítero Robson da Silva Sousa" ou "Os Melhores Textos do Prossigo para o Alvo".

Brincadeiras à parte, prossiga para o alvo, amado irmão! Aliás, eu só brinquei quanto aos possíveis títulos do livro, mas não quanto à possibilidade de isso acontecer de fato. Condições para isso existem: o irmão conhece a Palavra, escreve muto bem (tem até um blog!) e é criativo.

Eu disse "tem até um blog!" porque antigamente somente quem de fato dominava minimamente a arte de escrever se arriscava a ter um blog. Hoje, há muitos blogs em que falta de cuidado com o vernáculo indica que o blogueiro (e não editor do blog) não é do ramo...

Mas, quando vejo blogs como o seu e de outros talentosos editores de blog, não tenho dúvidas em dizer: Eis aí um verdadeiro escritor em quem não dolo.

Que Deus o abençoe, pas... ops!, presbítero Robson! Prossiga... para o alvo! E conte com a minha ajuda, sempre.

CSZ

Robson Silva de Sousa disse...

Paz, nobre Pastor Ciro Zibordi.

Finalmente, e para glória de Deus, tenho registradas em meu humilde blog algumas linhas oriundas das teclas desgastadas de um grande ESCRITOR...

Suas palavras de apoio e considerável sugestão com relação à possibilidade de que este pequenino blogueiro venha um dia tornar-se um GRANDE ESCRITOR encontra guarida em meu irrequieto coração... agora mais tranquilo com as doces palavras...

Certamente que quando este sonho vier a tornar-se realidade terás reservado especial espaço e irrecusável participação no feito.

Aguarde, pois breve irei cobrá-lo da oferta pública de socorro a este bisonho escritor.

Que o Senhor o abençoe rica e poderosamente,

Em Cristo,

Robson Silva
The little man

Related Posts with Thumbnails